quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Receita: Detox Capilar Rosa (Argila Rosa e Flor de Hibisco)

Chamei esta receita de Detox Capilar Rosa por causa da cor rosada e linda que ele fica. Para quem talvez não saiba, Detox capilar é uma limpeza especial que serve para remover resíduos e impurezas que ficam acumulados nos fios e no couro cabeludo. Essas substâncias acumulam por conta do excesso de produtos de cabelo, sal, cloro, poluição, também oleosidade e células mortas, e impedem que os outros tratamentos (como, por exemplo, hidratações) façam o efeito que devem fazer, assim, atrapalham no crescimento dos fios, deixam o cabelo sem brilho, sem movimento e sem vida. Esta receita indico para cabelos secos e sensíveis, mas também é ótima para quem está com descamações no couro cabeludo.

O que usar?
 1 colher (sopa - 10g) de  argila rosa;
 2 colheres (sopa - 20ml) de chá de flor de hibisco concentrado;
 1/2 colher (chá - 2,5ml) glicerina líquida bi-destilada;
 1 colher (sopa - 10g) creme liberado para co wash.

Como usar?
Molhar bem o cabelo; aplicar a mistura em todo o couro cabeludo; massagear suavemente com as pontas dos dedos por dois a três minutos e enxaguar bem para a água levar embora todas as impurezas. Depois reaplique a mistura e deixe parado agindo de cinco a dez minutos. Após essa pausa enxágue bastante, condicione e finalize como preferir. Recomenda-se proceder a cada 15 dias.

Benefícios dos ingredientes:
 Argila rosa: trata-se das argilas vermelha e branca misturadas, é rica em óxido de ferro (daí que vem sua cor avermelhada) que contribui para a para a oxigenação das células e em óxido de alumínio que auxilia na esfoliação da pele do couro cabeludo, possibilitando a remoção das células mortas desta região e promovendo a regeneração celular.
 Chá de flor de hibisco: é rico em vitamina C, antioxidante que previne o envelhecimento precoce e promove o crescimento saudável dos cabelos.
 Glicerina: tem função emoliente, umectante e hidrante sobre a pele do couro cabeludo.
O creme que vai ser usado como base deve ser um creme de fórmula simples e liberado para co wash, porque, já que é um Detox, não não faz sentido ter na fórmula substâncias insolúveis em água como petrolatos, óleo mineral, parafina, silicones, etc, e cremes liberados para co wash não contém estas substâncias na fórmula. Se a fórmula for livre de parabenos é melhor ainda, por isso, eu usei o creme "Divino Potão" da Skala que atende a todos estes critérios, mas há muitos outros que atendem a função de co wash, é só procurar nas lojas de produtos de cabelos.

Variações da receita para outros tipos de cabelos:
 cabelos oleosos: chá de canela + argila verde;
 cabelos claros: chá de camomila + argila branca;
 cabelos escuros e oleosos: chá de alecrim + argila preta.

Observações:
1. Fazer a mistura e usar imediatamente; não manter armazenado por se tratar de uma receita feita com ingredientes naturais.
2. A glicerina pode ser substituída por Bepantol (pró-vitamina B5) que tem função hidrante e regeneradora para a pele.
3. Se você quiser deixar essa receita mais natural ainda, pode substituir o creme por um mingau de maisena, de consistência média/rala, feito à base d'água, ou por mais uma colher de chá de hibisco.


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Fazer enfeites para árvore de natal

Este ano quis eu mesma fazer os enfeites da minha árvore de natal. Fiquei enjoada daqueles enfeites todos muito parecidos e industrializados das lojas. Este ano eu quis acrescentar um sentido afetivo aos meus enfeites (), por isso eu peguei algum material que tinha aqui em casa e fiz enfeites de passarinhos em seus ninhos. No lugar das bolinhas vermelhas eu queria mesmo frutas, de preferência mangas, mas essas bolinhas estavam aqui desde o ano passado em perfeitas condições, daí eu preferi não gastar dinheiro com mais. O tema é "cuide bem do seu ninho". Eu amei o resultado.



Para fazer os enfeites eu usei:

1. Papel kraft 110g;
2. Papel kraft 420g;
3. Tricoline estampada com motivos de passarinhos;
4. Tesoura sem ponta uahuaha;
5. Cola PVA extra-forte;
6. Cola quente;
7. Linha ou barbante na cor verde-musgo.


Como fazer?

Primeiro eu recortei os passarinhos do tecido, colei com bastante cola PVA no papel kraft 420g e esperei secar. Depois recortei todos os passarinhos colados no papel. Para fazer os ninhos eu cortei tiras bem finas (cerca de 5mm) do papel kraft 110g e fui embolando as tiras, unindo as pontas com cola PVA até conseguir um bolinho que parecesse um ninho. Para pontar, colei com cola quente os passarinho nos ninhos e fiz uma pequena "alça' com a linha verde para pendurar na árvore. 
E pronto!

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

ALERTA: CUIDADO COM O GOLPE DO BOLETO FALSO!

Há 1 mês, eu fiz um cadastro das atividades da minha atividade individual como micro editora e facilitadora de oficinas de design de livros e cadernos, a "Dente de Leão", no site do governo federal específico para microempreendedor individual. O processo é simples e claro. Mas há criminosos que pegam os dados dos novos empreendedores para aplicar um golpe de BOLETO FALSO. Hoje, pelos correios, chegou para mim um boleto no valor de R$395,00. Claro que eu já rasguei. Pelo que eu soube, este golpe já tem quase 10 anos que é aplicado e nenhuma autoridade pública toma providências, por isso fica o alerta para as demais pessoas não caírem nessa FREUDE

Jacilene Silva.


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Reutilização potes de creme

Hoje quero dar uma dica de reutilização de materiais.

Eu gosto de usar máscaras capilares que vêm nesses potões de 1kg, mas quando elas acabam sempre eu reutilizo os potes. A embalagem é em um material forte, um plástico bem resistente, por isso jogar fora chega a pesar a consciência. Por isso eu sempre reutilizo esses potes. 

Semana passada comprei argila rosa para usar na pele e nos cabelos, e dei preferência a uma marca que vende o produto num saquinho, porque eu já pretendia usar um pote que foi de creme de cabelo e que eu tinha em casa para armazenar a argila.

Mas antes de reutilizar o pote é importante sempre lavá-lo bem, se possível até esterilizar com álcool ou água fervente, para ficar em perfeitas condições de reutilização e nenhuma bactéria contaminar o produto que vai ser armazenado no pote. Outra coisa, como o pote era de creme de cabelo, ele não deve ser reutilizado para armazenar comida, só para materiais de limpeza ou higiene pessoal, como sabão em pó ou outro creme de cabelo, por exemplo.

Essa atitude é importante porque ajuda a diminuir o lixo gerado e também evita gastar dinheiro à toa, eu, por exemplo, economizo dinheiro porque dou preferência à compra de refis de produtos de limpeza e armazeno esse tipo de produto nesses potes. É importante também, sempre colar no pote o rótulo do produto para não perder informações importantes como composição e prazo de validade.


quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Vou contar uma história sobre cabelos e tendências...

Há quase 10 anos, eu cortei o cabelo desse jeito que hoje em dia se chama de “big shop”. Durante a adolescência, dos 14 aos 19 anos, eu pintei meu cabelo de “vermelho 666” quase que quinzenalmente, depois pintei tudo de preto, tentei recuperar um pouco o estrago de anos e decidi que não pintaria mais o cabelo. Só que eu comecei a relaxar os fios. No meu cabelo, que é naturalmente cacheado 3B, eu usava amônia misturada a uma máscara de tratamento para deixa-lo ondulado 2B. Foi aí que o estrago começou. Quando eu me abusei de usar qualquer tipo de química de transformação nos cabelos, pouco depois de completar 21 anos, eu decidi cortar tudo. Deixei 15 cm de cabelo. 
Ainda lembro, meu cabelo estava na altura da cintura, eu saí de casa dizendo a minha mãe que iria ao salão dar um corte no cabelo e ela disse “tá mesmo precisando cortar as pontas”, saí e voltei com 15 cm de cabelo rsrs Quando eu cheguei no salão eu disse “corta e deixa um palmo de cabelo”, daí a cabeleireira disse “vou cortar só até a metade para o caso de você se arrepender”, quando ela fez metade eu disse “pode cortar o resto!”. Tinha uma moça fazendo as unhas que disse “meu deus, ela vai cortar mesmo!” rsrsr Eu saí do salão naquele dia tãooooo feliz, acho que eu nunca gostei tanto do meu cabelo quanto naquele período de cabelinho curtinho. Deixei curto até 2010, foi quando eu comecei a ter pouco tempo para ir ao salão cortar, e o corte que eu tinha não era do tipo que fica bom cortando em casa, por isso parei de cortar e deixei crescer de novo.
Encontrar produtos específicos para cabelos finos e cacheados, como os meus, sempre foi um tormento. E compridos era mais difícil ainda. A indústria não se interessava por vender produtos para cabelos cacheados porque os canais de comunicação sempre manipularam as massas para que as pessoas "quisessem" ter cabelos lisos. Quem, como eu, decidia nadar contra essa maré era condenada a penar por um produto adequado. 
De uns tempos para cá, chego em supermercados, perfumarias, farmácias e encontro um variedade imensa de marcas e fórmulas diferentes para cabelos de todo tipo de cacho. É uma alegria! Só não é tanta alegria assim quando penso direitinho que a atual “moda” de cabelo cacheado natural talvez seja somente uma moda, uma tendência passageira que está devidamente sendo aproveitada pela indústria, mas que assim que esfriar vai voltar tudo ao que era antes, aquela velha dificuldade de encontrar produtos de cabelo adequados para os meus cabelos. Fiz até estoque de uns cremes que mais gostei por medo de acontecer isso e eu ficar sem (sério, teve um que eu comprei 5 kilos e estoquei já que vale até 2020 kkkkk). 
Em todo caso espero que não, espero que não passe, espero que essa “vibe de aceitação do próprio cabelo” tenha vindo para ficar, espero que daqui há 20 anos ainda seja normal a facilidade de encontrar variedade de produtos para meu cabelo, afinal, meu cabelo não é “moda”, não é mera tendência, eu nasci com ele, ele é minha identidade. Por isso torço que essa mudança de quadro tenha vindo para ficar de vez.