quarta-feira, 30 de abril de 2014

Hora da arrumação!

Foi quando eu comprei um novo par de sapatos e percebi que não havia espaço no meu guarda-roupas para guardá-lo. Pensei: "Preciso comprar um guarda-roupas maior". Como eu não tinha o dinheiro completo para comprar o guarda-roupas maior, decidi vender algumas coisas que eu não usava mais para me ajudar a levantar uma parte da grana.

Aquela blusa que eu ganhei, mas não fazia  muito meu estilo, e eu só usei uma ou duas vezes; a calça que não cabia mais em mim, mas eu guardava porque eu ainda poderia emagrecer um pouco; também a calça que deixou de caber em mim, mas eu guardava porque pode ser que engorde; sapatos que eu não uso mais; algumas coisas ganhadas que eu realmente nunca usei... Olhei bem séria para cada coisa com a consciência de que isso não era mais para mim.Vendi um bocado na internet para me ajudar a levantar fundos. Até livros que ficaram ultrapassados para mim e eu guardava, decidi vender. Tudo isso, que estava estagnado no meu quarto, pode ser muito bem utilizado por outras pessoas. Vendi uma parte e doei outra. Do que vendi consegui uma grana até legal, mas ao final, sabe o que aconteceu? Eu deixei de precisar de um guarda-roupas maior.

Me livrei de pelo menos 25% do volume de coisas guardadas e percebi que eu iria gastar meu dinheiro para comprar um novo guarda-roupas, só para guardar coisas que não me servem mais. Completamente sem sentindo! Também percebi uma coisa: um pouquinho de colecionismo. Eu tinha guardado uma porção de caixas de coisas que eu comprava mas não jogava as caixas fora. Caixa do pisca-pisca, caixa do teclado do computador, caixa do Jack Daniel's, caixa do castiçal que eu comprei há meses... Até uns 3 batons fora do prazo de validade e algumas mídias de DVD queimadas. Isso tudo foi subitamente mandado ao lixo! A gente vai acumulando coisas, pois acha que talvez aquilo seja útil no futuro, e a coisa toma uma proporção que você perde o controle e não sabe mais o que tem.

O saldo final foi super positivo: fiquei com dinheiro; repassei um monte de coisas que não me serviam mais e fiz uma super limpeza — até mental. Agora, até na hora de comprar, fica mais fácil saber o que eu realmente preciso e o que é dispensável. Me lembrou uma frase do Bobby (O Fantástico Mundo de Bobby) em que ele diz, sobre faxina, "...gostam de jogar o lixo velho fora, assim sobra mais espaço para o lixo novo" uahuah — Se quiser ver este episódio, está neste link aqui no youtube.

Ahhh e meus sapatos novos estão bem acomodados numa parte do guarda-roupas reservada só para sapatos ♥

Imagem: Girls bedroom by Yuliya.
Beijão!

4 comentários:

  1. As vezes é preciso desapegar do que nao usamos mais para podermos ter mais espaço né??

    Adorei seu post
    Beijos,
    http://fashionfinissima.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, e, principalmente, para ter controle sobre o que temos, senão chega num ponto que o apego às coisas inúteis é tão grande que pode ser tornar doentio.

      Beijão! =)

      Excluir
  2. Adorei a postagem, Jaci! Primeiro porque eu estou precisando fazer o mesmo: tenho que levantar um dinheirinho e, em contrapartida, guardo muitas coisas que não me servem mais e segundo porque não é apenas uma limpeza física e mental: é espiritual também.
    Fazer isso abre tanto nossas perspectivas quanto os nossos caminhos. Guardar velharias que não usamos mais é um atraso de vida no sentido emocional: é como se estivéssemos revivendo partes inúteis do nosso passado que deveria ter ficado para tás há tempos.

    Adorei.

    Beijões!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso San: "atraso de vida"! É isso mesmo que o acúmulo de tanta coisa inútil faz. Perfeita sua colocação. Beijão! =)

      Excluir