terça-feira, 7 de abril de 2015

"Sejamos todos feministas", de Chimamanda Ngozi Adichie

Ontem à noite baixei e li o e-book "Sejamos todos feministas" de Chimamanda Ngozi Adichie, pela Cia. das Letras. Na introdução da obra ela diz que se trata de uma versão modificada de uma palestra que deu em dezembro de 2012 no TEDxEuston, conferência anual com foco na África. No texto, fala sobre os esteriótipos negativos que limitam a palavra "feminismo" e convida mulheres e homens a abraçar a luta por justiça de gênero. É um texto breve, porém maravilhoso, ela relata exemplos de situações que vivenciou para ilustrar como ocorre a injustiça de gênero. Uma leitura recomendadíssima a todas e todos e está disponível para baixar de graça no site da Livraria Cultura [O e-book está disponível gratuitamente para download: AQUI].



Sinopse: O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo."A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma.“Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e — em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são “anti-africanas”, que odeiam homens e maquiagem — começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”. Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...