sábado, 4 de fevereiro de 2017

5 livros de introdução ao feminismo

Hoje achei por bem postar uma pequena lista de 5 livros que indico como boas introduções ao tema "feminismo". Nos últimos tempos se vê falar muito na internet sobre feminismo, mas juntamente com esse tanto falar vem muita informação distorcida que gera preconceito. Por isso hoje trago essa listinha, para quem quer entender o assunto ao invés de destilar bobagens preconceituosas. São livros de leitura leve, porém muito informativos, livros que eu com certeza indicaria para mim mesma quando eu tinha 15 anos e para muitas amigas e amigos que já tive. Então, quer entender melhor do que na verdade se trata esse tal de "feminismo"? Segue essa listinha:

1. "Sejamos Todos Feministas", de Chimamanda Ngozi Adichie

O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo. "A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente. "Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. "Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: 'Você apoia o terrorismo!'". Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e — em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são "anti-africanas", que odeiam homens e maquiagem — começou a se intitular uma "feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens". Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade.

>> Este é gratuito em e-book: AQUI

2. "Como Ser Mulher", de Caitlin Moran



Neste livro de humor e militância, a jornalista Caitlin Moran rememora suas experiências mais marcantes como mulher, da adolescência à maturidade, e busca abrir um novo caminho para o feminismo ao tratar de temas caros à mulher moderna. A partir de um péssimo aniversário de treze anos, ela fala sobre adolescência, trabalho, machismo, relacionamentos, amor, sexo, peso, maternidade, aborto, moda, compras e modelos de comportamento, sempre com um olhar crítico e muito humor. Nesta mistura de livro de memórias e manifesto feminista, as mulheres podem reconhecer coisas que fizeram, pensaram e disseram.



3. "Má Feminista", de Roxane Gay



Nesta seleção de ensaios engraçados e perspicazes, Roxane Gay nos leva a uma viagem sobre sua própria evolução como mulher negra, ao mesmo tempo em que nos transporta a um passeio pela cultura nos últimos anos. O retrato que emerge não é apenas o de uma mulher incrivelmente sagaz em contínuo crescimento para compreender a si mesma e à nossa sociedade, mas também o espelho de nós mesmos. Gay fomenta um debate ácido e cômico sobre o feminismo atual – e suas contradições –, política, racismo, violência, transitando entre a cultura pop e a análise crítica. Má feminista é um olhar afiado, e nos alerta, acima de tudo, para a maneira pela qual a cultura que nos envolve torna-nos quem somos.


4. "Feminismo e Política", de Flávia Biroli e Luis Felipe Miguel


Esta obra aborda a teoria política produzida nas últimas décadas, especificamente a contribuição política do feminismo. O debate sobre a posição das mulheres nas sociedades contemporâneas abriu portas para tematizar, questionar e complexificar as categorias centrais por meio das quais era pensado o universo da política, tais como as noções de indivíduo, de espaço público, de autonomia, de igualdade, de justiça e de democracia. O livro apresenta e discute as principais contribuições da teoria política feminista produzida a partir dos anos 1980, apresentando os termos em que os debates se colocam dentro do próprio feminismo, mapeando as posições de diferentes autoras e correntes. O resultado é um panorama da teoria política feminista atual, escrito de maneira a introduzir os leitores pouco familiarizados nas discussões, sem por isso reduzir sua complexidade.

5. "Meu Corpo não é Seu", de Think Olga

Um livro essencial para entender como se dá a violência contra a mulher e as razões de este ainda ser um dos tipos de crime mais recorrentes (e menos punidos) no mundo. Em abril de 2014, foi divulgada uma pesquisa do IPEA que trouxe dados chocantes sobre a percepção da população do país diante da violência sexual contra a mulher. O que mais chamou a atenção foi a informação de que 65% dos brasileiros acreditava que mulheres usando roupas reveladoras mereciam ser atacadas. Por dias, o assunto gerou intenso debate e campanhas que mobilizaram milhares de pessoas. O número alarmante seria corrigido depois pelo instituto de pesquisa, caindo para 26% — mas essa porcentagem não deixa de ser expressiva e prova quão forte ainda é a mentalidade que responsabiliza a vítima pelo crime que sofreu. Com um texto claro e informativo, que une dados das pesquisas e reflexões mais atuais a depoimentos pungentes de mulheres que viveram situações de violência, este livro é fundamental para investigar por que a violência contra a mulher ainda é um dos tipos de crime mais recorrentes no mundo todo e por que tão pouco ainda é feito para preveni-la e denunciá-la.

>> Este em-book custa R$5,99: AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...